Quarta, 25 Maio 2016 02:14

PROJETO “SAÚDE DOS ESCOLARES DE MONTE NEGRO”

Escrito por
Avalie este item
(10 votos)

O presente projeto (aprovado pelo Conselho Nacional de ética em pesquisa sob o No. CAAE 49569515.8.0000.0013) visa avaliar a prevalência de fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis – DCNTs, em escolares de 6 a 15 anos. A pesquisa de campo teve início no mês de abril, nas escolas públicas de Monte Negro “Aurélio Buarque” e “Mato Grosso”, e no mês de maio na escola “Maria de Abreu”. Trata-se de um projeto em parceria entre a USP, Faculdade de Ciências Médicas de Cacoal, Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Faculdade São Lucas e direção das escolas públicas municipais e estaduais de M. Negro. A princípio os alunos vieram até a USP/ICB5 para participar da pesquisa onde foi aplicado o questionário clinico-epidemiológico, tabela de Snellen (acuidade visual), aferição de peso/altura e pressão arterial, entrega do coletor para exame parasitológico de fezes, além de coleta sanguínea, para realização de exames tais como: Hemoglobina, Hematócrito, Creatinina, Lipidograma e Glicemia. No entanto, houve baixa adesão dos alunos sorteados. Para contornar o problema, foi utilizada a estratégia de ir à escola onde o aluno estuda e realizar a pesquisa de campo na própria escola, fato que facilitou a adesão dos alunos. Nestes dias, contou-se com a presença de todos os acadêmicos integrantes do projeto, os acadêmicos de iniciação científica: Rebeca Santos, Roberta Maulaes, Diego Lima, Leonardo Christyan e Tallita Zamarchi, além dos colaboradores Juliana Camargo, Silvana Eugênio, Patrícia Braganhol e Raquel Gonçalves, fato que favoreceu no andamento da pesquisa. Até o momento, contabilizou-se um total de aproximadamente 271 crianças examinadas, sendo que 45% correspondem ao sexo masculino, com uma prevalência de sobrepeso para obesidade de 13%, Snellen alterado (15,5% OD e 16,2% OE), intolerância glicêmica 5,1%, alterações em dislipidemia (HDL 36,1%, LDL 7%, TRIGLICERÍDEOS 10%), anemia 5,5%, exame parasitológico alterado 4% e 8% com alteração em níveis pressóricos. Contudo, vale ressaltar que alguns alunos não estão com a ficha totalmente preenchida, faltando alguns dados citado acima, dados que logo serão preenchidos com a busca ativa nas escolas. O projeto entra em sua 3ª etapa, realizando a busca ativa dos alunos que não conseguiram realizar a pesquisa na USP ou nas escolas por vários motivos.

Enf. Bruno de Oliveira- Doutorando UFSJ

 

 

 

Lido 757 vezes Última modificação em Quarta, 25 Maio 2016 14:24

Comentários   

0 #1 Maria talita 19-08-2017 16:14
Muito bom este projeto... Parabéns aos realizadores, hoje em dia é cada um por si e ninguém aí para os outros,mas ainda há pessoas com bons corações e que fazem a diferença!
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2003 ~ 2015 - Instituto de Ciências Biomédicas 5 / USP (Universidade de São Paulo)

Todos os Direitos Reservados