Administrador

Administrador

Sexta, 24 Julho 2015 07:53

ESTÁGIO ICB2/ICB5 USP

ESTÁGIO ICB2/ICB5  USP

 

De 12 a 25/7/2015 10 alunos do curso de Ciências Biomédicas do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, 2 acadêmicos de medicina do IMEPAC (Araguari-MG), 2 acadêmicos de medicina da UFMG, 2 acadêmicos de medicina da UFSJ, acompanhado de professores (Prof. Luís Marcelo, Prof. Sergio Basano e Profa. Juliana Camargo), médicos (Dr. Diego Negreiros Dra.  Bruna Gúzman)e funcionários da USP de Monte Negro (ICB5), em parceria com a FIOCRUZ/Noroeste, vão se dedicar a conhecer um pouco mais a Amazônia.

Na primeira semana os alunos serão capacitados a examinar pacientes, colher sangue e preencher a ficha clínico-epidemiológica. Às tardes, após a atenção aos pacientes do AMBUSP, haverá a discussão de artigos científicos sobre agravos de saúde típicos da Amazônia. Anteontem a mestranda pela UFSJ, farmacêutica Adriana Benatti expôs seu trabalho e experiência sobre doença de Chagas na Amazônia. Ontem à tarde foram  discutidos artigos sobre capilaríase, dirofilariose, doenças crônicas não-transmissíveis no contexto amazônico e mansonelíase. Outros temas como malária, leishmaniose e filarioses serão abordados hoje.

Na 5ª feira os alunos passarão o dia visitando o bioma amazônico.  Está programado um dia de visita às cabeceiras do rio Jamari e seus afluentes e caminhada na mata em um antigo seringal (Seringal do Cabeça). Na ocasião serão recepcionados pelo proprietário, Sr. José Pereira, com um churrasco às margens do Jamari.

Após os preparativos de viagem na 6ª feira, às 4:00h viajarão de ônibus de Monte Negro (Rondônia) até Lábrea (Amazonas), trafegando pela lendária e malfadada transamazônica numa jornada de mais de 10 horas. O professor emérito do ICB, Erney Camargo e o Prof. Dr. Gilberto Fontes (UFSJ), O Prof. Ricardo Ferreira (Fiocruz/Noroeste), a Profa. Lilian Cantanhede (Fiocruz/Noroeste) e Prof. Aldemir Silva (Fiocruz/PR) acompanharão a equipe a partir de Porto Velho na segunda etapa das atividades.

Ao chegar em Lábrea, com apoio da Prefeitura Municipal, embarcarão no Barco-Hospital e navegarão até o município vizinho de Canutama, singrando pelo afamado e barrento rio Purus, o segundo maior afluente da margem esquerda do Solimões e 900 km distante de Manaus.

Durante esta etapa a equipe passa a ter três focos de pesquisa: doenças genéticas raras (Fiocruz), filogenética de tripanosomatídeos (Prof. Erney-ICB2) e preparativos para o ensaio-clínico fase 3 para tratamento da filariose transmitida por borrachudo (mansonelíase) (ICB5 e Centro de Medicina Tropical de Rondônia). Serão examinados aproximadamente 300 ribeirinhos. Como atividade complementar será ofertada à população teste rápido para HIV, Sífilis, Chagas, Hepatites, Leishmaniose Visceral e serão realizadas consultas médicas e distribuição gratuita de óculos para presbiopia (doação do Instituto Visão/UNIFESP).

Além das atividades assistenciais e de pesquisa, será um momento oportuno para os alunos paulistas travarem contato com a população ribeirinha, a maioria descendente de “ soldados da borracha” (nordestinos, seringueiros), que chegaram à região há mais de um século,miscigenados com índios locais.  Um povo simples, acolhedor, com um estilo de vida peculiar e repleto de carências.

 


II EXTENSÃO UNIVERSITARIA DA LIGA DE MEDICINA DA FAMÍLIA E COMUNIDADE AO ICB5-USP NA CIDADE DE MONTE NEGRO 

 

Arlindo Gonzaga Branco Junior

Presidente da LAMFC

 

As ligas acadêmicas são um espaço dinâmico onde os discentes, em parceria com os docentes, desenvolvem projetos de pesquisa, ensino e extensão em diversas áreas de conhecimento. A Liga de Medicina da Família e Comunidade de Rondônia – LAMFC-RO base Porto Velho, filiada a Faculdade São Lucas realizou nos dias 5 de julho ao dia 10 de julho sua II Extensão universitária ao ICB5-USP na cidade de Monte Negro – RO, onde ocorreu uma semana de atividades em uma unidade de atenção básica da USP (AMBUSP) com carga horária final de 50 horas, estando presentes 25 alunos de enfermagem e medicina.Foram beneficiados com a extensão cerca de 30 pacientes por dia durante 5 dias totalizando 150 pacientes com doenças crônicas não-transmissíveis, doenças infecto-parasitárias e a realização de pequenas cirurgias. Após os atendimentos ocorriam discussões de casos clínicos com os preceptores (Dr. Diego Negreiros e Prof. Luís Marcelo Aranha Camargo) que instruíam e orientavam condutas, medicamentos e procedimentos a serem adotados ao atenderem os esses pacientes. Ocorreram também ao fim dos atendimentos, aulas expositivas sobre anamnese, exame físico geral, dislipidemias, hipertensão arterial sistêmica, diabetes, tabagismo e discussão de casos clínicos. Além disso, houve troca de experiências (pessoais e acadêmicas) entre os colegas que estavam na extensão, pois o grupo era formado de acadêmicos do 1º e do 9º período das três Faculdades de Medicina de Porto Velho – RO. Segundo o organizador:a II Extensão da LAMFC permitiu o contato precoce dos acadêmicos com a atenção básica em saúde e, de modo especial, com a prática médica. Com isso percebe-se o quanto a atividade de extensão universitária é relevante na formação do futuro médico, despertando seu interesse precocemente pelo exercício da medicina, pela área de atuação na APS e aprimoramento da relação médico-paciente. Por fim, conclui se que esta semana de atividades no AMBUSP na cidade de Monte Negro – RO inseriram o estudante de medicina e enfermagem em um ambiente enriquecedor o que possibilita o acadêmico aprofundar seus conhecimentos na área de atenção básica a saúde e clínica médica.

Depoimento da acadêmica de medicina da Faculdade São Lucas Elis Deyane: “A participação em atividades prestadas à população no AMBUSP no município de Monte Negro/RO, agregou aos meus conhecimentosuma experiência rica e gratificante. A contribuição com os atendimentos prestados através do ICB5-USP aflorou em mim o interesse por pesquisas para o melhor desenvolvimento da saúde da comunidade como um todo, tendo em vista a inserção de novos métodos utilizados para a prevenção e promoção da saúde.Deste modo, sinto-me lisonjeada por esta oportunidade.”

Entre os dias 28 Junho ao dia 03 de Julho/2015, foi realizada a XIV Extensão Universitária no Instituto de Ciências Biomédicas 5/USP na cidade de Monte Negro – RO. A extensão teve como objetivo oferecer atendimento gratuito e de qualidade à comunidade, aprimoramento técnico dos acadêmicos dos cursos de Medicina, Enfermagem e Biomedicina/Farmácia do estado de Rondônia, e o compartilhamento de conhecimento entre alunos e preceptores da extensão acadêmica.

Durante a extensão foram realizados atendimentos médico ambulatorial completo no qual houve coletas de exames como: Exame Parasitológico de Fezes (EPF), lipidograma, Hemograma, exame de urina tipo I, sorologias (AIDS, Hepatite B e C, VDRL, doença de chagas...) e entre outros. Também foi oferecido a população procedimentos cirúrgicos ambulatórias que foram feitos pelos acadêmicos sob supervisão médica.

De acordo com o administrador do ICB 5/USP Luís Marcelo Aranha Camargo “ a experiência se repete pela décima quarta vez e está cada vez mais interessante e organizada. Agradeço aos alunos, monitores e funcionários do ICB5/USP”.

Já para um dos monitores e participante do evento, Leonardo Fernandes, a extensão foi memorável e tem um marco importante em sua trajetória acadêmica e profissional. “A partir do 1º período, comecei a participar das extensões universitárias, e agora estou finalizando o 8º período e indo para o internato fechando com chave de ouro depois da XIV extensão. Em todas as cinco extensões eu aprendi tanto que não há livros que consigam traduzir toda essa experiência adquirida. Fiz tantas amizades que não há porta-retratos que caiba tantas fotos de lembranças inesquecíveis. Enfim, a contribuição do ICB 5/ USP para minha formação médica, foi inexplicável. Posso dizer sem dúvidas que a XIV edição foi uma das melhores, se não a melhor que já participei.”

A extensão Universitária teve total apoio do Doutor professor PhD Luís Marcelo Aranha Camargo e Doutor Diego Negreiros, que auxiliaram os estudantes na execução dos atendimentos de forma excepcional e paciente, sem qualquer retorno financeiro. O contato dos estudantes com o paciente é importante pois visa aperfeiçoar a forma no atendimento médico, tornando-a mais humanizada, dinâmica, atualizada e entetendo a importância da equipe multidisciplinar para o sucesso na qualidade na assistência médica. Com esta ação, todos são beneficiados. Tanto os acadêmicos como a própria comunidade.

 

Natália Gomes Corrêa

Acadêmica de Medicina – Faculdade São Lucas

Coordenadora e organizadora da XIV Extensão Universitária ICB 5/USP

 

 

 

 

Epidemiological aspects of Toxoplasma gondii infection in riverside communities in the Southern Brazilian Amazon

 

Sérgio Neto Vitaliano[1],[2], Gabriel Maciel de Mendonça[3], Felipe Amsterdam Maia de Sandres[3], Juliana de Souza Almeida Aranha Camargo[3], Paulo de Tarso[3], Sérgio de Almeida  Basano[3],[4], Jéssica Carolinne Damasceno e Silva[3], Viviane Krominski Graça de Souza[3],  Glenci Cartonilho[5], Alexandre Thomé da Silva de Almeida[3], Solange Maria Gennari[2]  and Luís Marcelo Aranha Camargo[2],[6]

[1]. Curso de Medicina Veterinária, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo, Brasil. [2]. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. [3]. Faculdade São Lucas, Porto Velho, Rondônia, Brasil. [4]. Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia, Hospital Cemetron, Porto Velho, Rondônia, Brasil. [5]. Laboratório Central de Saúde Pública, Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho, Porto Velho, Rondônia, Brasil. [6]. Unidade Avançada de Pesquisa, Universidade de São Paulo em Rondônia, Monte Negro, Rondônia, Brasil.

 

ABSTRACT

 

Introduction: Toxoplasma gondii infection is widely prevalent in humans and other animals worldwide. Information on the prevalence of T. gondii infection is scarce in some regions of Brazil, including riverside communities along the Amazon River basin. Methods: The prevalence of T. gondii in 231 people, aged 1-85 years, who were living in four riverside communities along the Purus River, Lábrea, State of Amazonas, Brazil, was determined. Antibodies against T. gondii were assayed using a commercial enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) kit. The hearts and brains of 50 chickens, which were raised free-range in the communities, were pooled according to the community of origin and bioassayed in mice. The isolates were genotyped using polymorphisms at 12 nuclear markers (SAG1, 5’ and 3’-SAG2, alt.SAG2, SAG3, BTUB, GRA6, c22–8, c29–2, L358, PK1, Apico and CS3). Results: The overall seroprevalence of T. gondii was 56.7% (131/231). IgG antibodies were presented by 117 (89.3%) and IgM by 14 (10.7%) of the 131 positive individuals. No association between age group and gender with prevalence was observed (chi-square test, p > 0.05); however, the comparison between localities showed that the seroprevalence of T. gondii was significantly lower among the individuals living in the Boca do Ituxi (p < 0.05) community. Five isolates of T. gondii were obtained in the mouse bioassay, and genotyping revealed two complete genotypes that had not been described previously and three mixed isolates. Conclusions: These results support previous findings that T. gondii population genetics are highly diverse in Brazil and that T. gondii infection is active in these riverside communities.

 

Link to full article: http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0040-2015

Sexta, 15 Maio 2015 19:00

X EXPEDIÇÃO CIENTÍFICA LÁBREA

Equipe de pesquisadores da FIOCRUZ/RO, ICB5/USP e CEMETRON/SESAU/RO visitaram Lábrea, estado do Amazonas em 14 e 15/5/2015. O propósito da visita foi para acertar detalhes sobre a X EXPEDIÇÃO CIENTÍFICA LÁBREA, que ocorrerá entre 18 e 25/7/2015. O Prof. Henrique Krieger (Fiocruz), Sergio Basano (Cemetron) e Luís Marcelo (ICB5), reuniram-se com o secretário de saúde do município, Sr. Michel Cruz, que com muito entusiasmo e cordialidade apoiou a iniciativa da X Expedição. Afinal, são 7 anos de saudável parceria.

Dr. Luis Marcelo, Dr. Basano e Dr. Krieger

 

Durante o evento a equipe de pesquisadores, que inclui médicos, biólogos, biomédicos e acadêmicos universitários irão realizar várias atividades:

-Assistência médica e laboratorial, com entrega de medicamentos e óculos para presbiopia

-Cadastro da população e realização de exames sorológicos rápidos (imunocromatografia) para Hepatites, HIV, Sífilis, doença de Chagas, Toxoplasmose e Malária.

-Estudo para a detecção de doenças raras e sua relação com a genética humana

-Caracterização molecular de tripanosomatídeos de répteis e anfíbios

A equipe será composta, além dos pesquisadores, por 10 acadêmicos do ICB/USP-SP das áreas de Biomedicina e Ciências Fundamentais da Saúde.

No total há 25 vagas, das quais 15 estão preenchidas (TODAS AS VAGAS FORAM PREENCHIDAS!). Inscrições podem ser realizadas aqui via site do ICB5. O ICB5/USP e FIOCRUZ, com apoio da SEMUSA/Lábrea, arcará com as despesas em terra e o transporte entre P Velho e Lábrea.

Terça, 12 Maio 2015 23:44

ICB5 amplia suas atividades no Estado

O Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, núcleo de Monte Negro (RO), conhecido como ICB5 e que presta 17 anos de assistência e pesquisa na região, estenderá suas ações para UBS2 de Ariquemes. O ideia é assessorar a Prefeitura de Ariquemes (50 km de Monte Negro) na implantação dos serviços de HIPERDIA (Hipertensão, Diabetes, Alteração do colesterol no sangue), Geriatria (o segundo serviço em funcionamento no estado), pequenas cirurgias ambulatoriais (biópisas e ressecção de tumores de pele), serviço de retinogafia (exame dos olhos,em parceria com a UNIFESP), além de compartilhar o laboratório de análises clínicas da USP Monte Negro, agilizando a entrega de exames laboratoriais. As conversas entre as partes iniciaram-se em outubro/2014 e em 11/5/2015 as atividades tiveram início. No prazo de um mês as atividades estarão totalmente implantadas e a UBS2/USP deverá estar realizando 400 consultas e 600 exames laboratoriais/mês. A coordenação do ICB5/USP elogia a iniciativa da Prefeitura de Ariquemes que procura através de seu secretário de saúde Sr. Joseilton Souto a melhora do sistema de saúde SUS no município. Vale ressaltar que a cooperação recebeu todo apoio do Ministério Público de Ariquemes, que orientou e incentivou a iniciativa. Os atendimentos ocorrerão na UBS 2 (Setor 2) de 2a à 6a feira das 8-12 e das 14-17h com hora marcada. Por outro lado, pacientes com problemas de doenças no sangue (anemias, sangramentos, manchas roxas na pele, alterações exageradas na menstruação e na extração de dentes, poderão procurar o Hemocentro (ao lado do Hospital Regional) para atendimento médico na especialidade de Hematologia (doenças do sangue). Esta parceria, sem dúvida fortalece o SUS e brinda a população de Ariquemes com serviços de assistência à saúde mais diversificados e de qualidade.

 

Para vizualizar a reportagem clique aqui.

Domingo, 15 Março 2015 23:27

Colaboração do ICB5 USP - HEMERON

 

 

Hemovigilância do Hemocentro do Estado de Rondônia

 

A UTC de Ariquemes (Rondônia) agradece a colaboração do ICB5 USP no ato público de doação de sangue em 6 e 7/3/2015. O ICB5/USP ofereceu as instalações e funcionários, além de alojamento e apoio técnico durante a campanha de doação. Foram mais de 50 voluntários, sendo permitida a coleta de 31 bolsas, seguindo as normas do MS. A atividade visa fortalecer o baixo estoque de sangue existente no estado. Foi um importante momento de cidadania e colaboração entre USP e SESAU. Em 2015.2 haverá outro esforço de coleta. Sentimo-nos honrados em poder colaborar com o bem estar da população de Rondônia.

 

(Fonte da imagem: http://www.sesau.ro.gov.br/?p=4555)

 

 

A Universidade de São Paulo (USP) subiu 30 posições e aparece entre as 100 melhores instituições de ensino superior do mundo em reputação no meio acadêmico, segundo o ranking divulgado nesta quarta-feira (11) pela instituição londrina Times Higher Education (THE).

 

O ranking foi montado a partir de uma pesquisa com mais de 10,5 mil 
professores convidados de 150 países. Única universidade brasileira 
entre o “top 100” do ranking, a USP aparece na faixa entre o 51º e o
60º lugar. No ano passado, a USP estava na faixa de 81º ao 90º lugar.
A lista que leva em conta a reputação da universidade entre os 
pesquisadores do meio acadêmico. A pesquisa pediu aos acadêmicos 
experientes para destacar o que eles acreditavam ser o mais forte das
universidades para o ensino e a pesquisa em seus próprios campos.
Veja as 10 primeiras universidades no ranking de melhor reputação 
acadêmica pelo THE
Posição Instituição País
1º) Universidade Harvard EUA
2º) Universidade de Cambridge Reino Unido
3º) Universidade de Oxford Reino Unido
4º) Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) EUA
5º) Universidade Stanford EUA
6º) Universidade da Califórnia - Berkeley EUA
7º) Universidade Princeton EUA
8º) Universidade YAle EUA
9º) Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) EUA
10º) Universidade Columbia EUA
51º) Universidade de São Paulo BRASIL
Fonte: Times Higher Education, Top Universities by Reputation 2015
O diretor da THE, Phil Baty, elogia a "recuperação" da USP no ranking.
"É ótimo ver a USP se levantando. Estar na elite mundial é vital para 
São Paulo e para o Brasil. Ser o carro-chefe pode ajudar a atrair e 
reter talentos que vão beneficiar todo o país", comentou."A reputação 
acadêmica de uma universidade não só influencia os investimentos e 
decisões de financiamento, mas, e mais importante, também ajuda a 
instituição a desenvolver e cultivar seu único maior ativo - o seu 
aluno e talento acadêmico".


Com aprovação do novo regimento do Instituto de Ciências Biomédicas da 
USP, o Centro Avançado de Ensino, Pesquisa e Extensão em Monte Negro 
(ICB 5) é reconhecido como Centro de Apoio do ICB-USP.

Além de ser referência em pesquisa na área de doenças tropicais, o 
centro tem ampla atuação de ensino e extensão. Recebe estudantes da 
área de saúde para ensino e realiza atendimentos médicos e 
odontológicos para a população local.

Com a mudança, o ICB 5 passa a ter maior autonomia para planejamento 
estratégico e gestão financeira e administrativa, além de possibilitar 
o estabelecimento de projetos temáticos interdepartamentais e 
concorrer a editais com projetos próprios.

Localizado no estado de Rondônia, no município de Monte Negro, o ICB 5 
entrou em funcionamento a partir de 1997 e desde 2006 é reconhecido 
como Centro Avançado da USP.

© 2003 ~ 2015 - Instituto de Ciências Biomédicas 5 / USP (Universidade de São Paulo)

Todos os Direitos Reservados